segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Hábitos à mesa

Nunca sofri de distúrbios alimentares, por isso, não posso imaginar a batalha diária que pode simbolizar a comida para certas pessoas. A minha alimentação variou muito no decorrer dos anos. Fui aprendendo com os erros. Tive várias fases. Algumas nitidamente mais saudáveis do que outras, exemplo:
já deixei de comer doces, temperar a comida com sal e aumentei simultaneamente a minha carga de treino, chegando por vezes às duas horas e meia por dia (fiquei mais tonificado e volumoso)...mas obviamente só durou uns meses.
Em oposição, já tive uma fase inteiramente dedicada ao fast food, e sem praticar qualquer tipo de actividade física. (engordei 10 quilos em poucos meses). Voltei rapidamente ao meu peso normal, mas o que interessa aqui é salientar o facto de que ambos os modos de vida não me convinham. Foi preciso arranjar um equilíbrio.

Hoje consegui alcançar esse equilíbrio. Treino cinco vezes por semana e raramente mais do que uma hora e tenho uma alimentação que considero suficientemente saudável e que me deixa satisfeito. Aqui vai um esboço do que posso comer num dia normal:

8H30 Cereais com leite.

10H30 Barra de cereal e maçã

12h30 Todo o tipo de carne (tirando porco) com arroz, couscous, massa ou salada

16h30 Sandes de fiambre de peru

20h30 Peixe com espinafres, feijão, salada (essencialmente legumes)

23h00 Leite achocolatado (gulodice)


Ao fim-de-semana como sempre algo doce (pode ser panquecas, bolo, o que me apetecer naquele dia).  Todos precisamos de um "dia de folga".



É algo fácil e simples de seguir. 


Sem comentários:

Enviar um comentário